O estilo hipster francês

É  verdade que eu já havia percebido uma certa mudança e uma certa tendência no quesito vestimenta em alguns bares descolados aqui na França, e em algumas capitais do Brasil.
Isso já vem desde um certo tempo (alguns anos acho) mas só agora me dei conta da proliferação de brechós, barbearias estilo retrô e tatuadores aqui na França. Fato este que também notei quando estive no Brasil alguns meses atrás e imagino se estenda por muitas cidades no Ocidente.
Sabe aquele estilo barba comprida, visual moderno e óculos estilosos? Acho que muita gente  sabe do que estou falando, hipster é um dos assuntos do momento. Falar sobre moda, modismos e tendências não é muito a minha praia, mas estava fazendo uma pesquisa para preparar uma aula e acabei encontrando  um vídeo legal que mostra as diferenças e as semelhanças entre um hipster parisiense e um hipster berlinense.

O vídeo, que já é interessante por conta do formato (uma animação de 5 minutos produzido pelo canal Arte), é também um ótimo suporte para trabalhar sobre  alguns pontos da língua francesa e adquirir um vocabulário mais, digamos, descolado (branché). Através deste vídeo podemos trabalhar:

  • as expressões de comparações (les comparaisons)
  • vocabulário associado à roupas e estilo de vida (les vêtements et style de vie)
  • gírias e expressões  (l’argot)

Ficou curioso para ver o vídeo? Aí vai:

Para ajudar na compreensão, segue um pequeno léxico de apoio. As palavras estão classificadas de acordo com a ordem que são citadas no vídeo e a tradução é livre:

banlieue – periferia
aux allures de  – com ares de, semelhante àsoigner son look – cuidar do visual
barbe –  barba
moustache – bigode
chemise à carreaux – camisa listrada
lunettes à grosse monture – óculos com armação grande
pull à motif de grand-mère – blusa de frio com estampas do tempo da vovó, ou seja, retrô!
bonnet –  gorro (atenção ao falso cognato, bonnet não é boné!! boné em francês se diz casquette!)
chemise boutonnée –  camisa abotoada
taille haute – cintura alta
avoir la cote – fazer sucesso, ser popular
branché –  ligado, descolado
chiner – palavra familiar que significa procurar produtos em brechós, antiquários, feiras, etc..
friperie – local onde se vendem roupas e objetos usados, é o nome do brechó em francês!
bio –  orgânico
Bobo – bourgeois bohème, seria o nosso hippie chic!

Gostou deste post? Você encontrará mais vídeos interessantes aqui!

 

 

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em atualidades, Cultura, curta-metragem, Estilo de vida

Livros em francês : O pequeno príncipe

Você gosta de ler, está aprendendo francês e não sabe por onde começar?
Este livro é para você!

Não dá para mergulhar na história fazendo pausas a cada 5 palavras para consultar o dicionário, não é mesmo?? Quem gosta de ler e estuda línguas sabe bem como é diícil achar um livro interessante e com um vocabulário adaptado quando estamos começando a aprender um novo idioma..

Assim, quando me pedem recomendações de livros em francês, eu indico “Le Petit Prince” para todo mundo! Por quê? Bem, não apenas porque é um clássico e um dos livros mais vendidos no mundo, mas princialmente porque ele aborda temas universais em linguagem simples e cheia de poesia, a leitura é fácil e acessível à todas as idades, e você poderá trabalhar vários pontos de gramática e  vocabulário.

 

petit prince
Mesmo em nível debutante (A1/A2) já é possível ter uma boa compreensão do livro. Eu sugiro que você leia este livro após já ter estudado o “passé composé”. Embora no livro você também encontrará outros tempos verbais, tais como “imparfait”, “passé simple” e “subjonctif”, se você já estudou o “passé composé”, poderá compreender a narrativa sem maiores dificuldades.

A minha dica é fazer uma primeira leitura de cada capítulo (eles são curtinhos) e tentar entender o contexto geral (onde se passa, quem são os personagens, sobre o quê estão conversando, etc..). Uma vez feita esta primeira análise, faça uma leitura tentando identificar os tempos verbais, anote as palavras e expressões novas que você entendeu dentro de um dado contexto e verifique se sua interpretação está correta. Através da leitura fica muito mais fácil compreender o uso de verbos e expressões, e aos poucos você vai aumentando seu vocabulário.

Como se trata de um dos livros mais vendidos no mundo, você encontrará facilmente na internet. Se quiser uma versão em pdf do livro em francês, é por aqui: http://www.saintexupery-domainepublic.be/wp-content/uploads/2015/02/petitprince2.pdf

Deixe um comentário

Arquivado em Cultura, Literatura, textos A1 A2, textos A2 B1, Textos B2 C1, Textos C1 C2

Curta em francês!

Embora já tenha lido diversos livros sobre didática e técnicas de aprendizagem de uma nova língua, acredito que o aprendizado de um modo geral é algo bastante subjetivo. O que funciona para mim, nem sempre será o método mais adaptado ao meu vizinho e vice-versa. Algumas pessoas possuem maior percepção auditiva e conseguem reproduzir sons com bastante facilidade. Já outras podem ser mais visuais, conseguem memorizar melhor um texto escrito ou imagens.

Independente do perfil de cada pessoa, o contato diário com a nova língua é fundamental para evoluir no aprendizado.
Eu adoro assistir filmes e documentários e para mim esta é uma das maneiras mais prazerosas de estudar uma nova língua. Quando assisto filmes em inglês por exemplo, sempre que possível coloco as legendas em inglês e isso facilita muito não apenas a compreensão (sem legendas acho que entendo uns 60%) mas também a memorização de novas palavras (minha memória é visual!).

O que é legal é que existe muito material disponível na internet para quem quer praticar. Eu adoro filmes, mas sei que nem sempre são acessíveis, o vocabulário às vezes é complexo para quem é iniciante e 2 horas de concentração pode ser bastante cansativo no início. E por que não começar com curta-metragens? Sempre que possível, gosto de trabalhar com curtas, é possível visualizá-los em sala e discutir com os alunos. Este tipo de formato é excelente para quem quer praticar mas não dispõe de muito tempo, e o que é melhor, alguns deles você poderá encontrar integralmente no youtube e dailymotion.

Motivados? Segue uma listinha de alguns curtas em francês que vocês poderão curtir:

Deixe um comentário

Arquivado em atualidades, cinema, Cultura, curta-metragem

Como aprender uma língua estrangeira se divertindo

6 astuces rigolotes pour apprendre une langue étrangère en s’amusant | La presse et la classe de fle | Scoop.it

Minha primeira aula de francês foi no mínimo traumática! A professora tinha um enorme carisma e conhecia muito bem a língua francesa. Mas estávamos na década de 90, os documentos em francês numa cidade do interior de SP eram poucos, ouvíamos músicas em fita cassete e internet ainda soava como filme de ficção científica. E olha, nem tenho tantas décadas de vida, mas realmente, ter bons documentos em outra língua poderia ser considerado luxo naquela época!

Comecei estudando uma gramática pesada e lendo livros da década de 40, nada de grandes clássicos da literatura, mas livros utilizados em sala de aula neste período na França. Difícil compreensão, leitura penosa, e o mais importante, nenhum assunto que despertasse meu interesse pela língua.
Aí chegamos ao final dos anos 90, mudamos de milênio e booomm internet !! Hoje ensinar e aprender línguas pode ser bem mais fácil e divertido do que minha 1° experiência nos anos 90. Existe muita informação na internet, e claro, é preciso saber selecionar e avaliar os conteúdos, tarefa que nem sempre é evidente.

Selecionei aqui um texto (em francês, né ?!) que dá dicas de como você pode aprimorar seus conhecimentos de uma forma divertida! Trata-se de um texto curtinho de uma revista online, portanto não espere encontrar aqui nenhuma descoberta do século. Mas o objetivo é esse mesmo, ler em francês e enriquecer o vocabulário de maneira leve e divertida, certo?

Amusez-vous bien 🙂

 

2 Comentários

Arquivado em Educação, Língua Francesa, Textos, textos A1 A2, textos A2 B1, Textos B2 C1, Textos C1 C2

Je suis Charlie!

Depois de bastante tempo sem escrever, começamos o ano aqui na França com um acontecimento muito triste.

Quem acompanha a mídia deve ter visto que ontem 12 pessoas foram mortas durante um atentado à sede do jornal satírico Charlie Hebdo, em Paris.

Para quem quiser acompanhar os debates na mídia francesa, sugiro aqui alguns sites:

http://www.lemonde.fr/

http://www.huffingtonpost.fr/

http://www.rfi.fr/

http://www.slate.fr/grand-format/charb-dessins-96591

Paix et humour !

Permalien de l'image intégrée

Deixe um comentário

Arquivado em atualidades, textos A1 A2, textos A2 B1, Textos B2 C1, Textos C1 C2, Uncategorized

Momento de desacelerar

 Quando alunos me perguntam sobre sites e canais interessantes em língua francesa eu geralmente cito o Arte (a pronúncia correta é artê). Arte é uma rede pública de televisão franco-alemã mais voltada para questões culturais. O conteúdo é variado e rico, com alguns programas de cunho filosófico, grandes clássicos do cinema e discussões sobre a atualidade. Você pode acessar diretamente o canal através deste link

Mas o que eu gostaria mesmo de dividir aqui é o excelente documentário “L’urgence de Ralentir”, produzido pela Arte. O documentário traz  uma discussão sobre o nosso ritmo de vida cada vez mais acelerado, com o auxílio da tecnologia vivemos na era do imediato e muitas vezes nem nos questionamos sobre a nossa relação com o tempo, e nem com aquilo que estamos produzindo e consumindo. O mais interessante porém é que o documentário mostra as iniciativas individuais e coletivas de pessoas que decidiram seguir por um caminho alternativo. E não de estamos falando de morar no meio da floresta, mas de pessoas que mesmo em grandes cidades resolveram se organizar e fazer a diferença!

Para quem ficou curioso e quer assistir, é por aqui

Deixe um comentário

Arquivado em atualidades, Cultura, documentários, Textos B2 C1, Textos C1 C2

Petit gâteau, fondant e mi-cuit : as variações do bolo de chocolate

Petit gâteau, fondant, moelleux, mi-cuit. São muitas as variações em torno do bolo de chocolate aqui na França. E para você que adora um petit gâteau, saiba que na França você encontrará muitos deles, porém, não como você imaginava. Como assim?

No Brasil e nos EUA, chamamos de petit gâteau aquele bolinho que é um pouco duro por fora e quase derretido por dentro. O mais famoso é o petit gâteau de chocolate, muitas vezes acompanhado de uma bola de sorvete.

Na verdade petit gâteau (fala-se petit gatô) significa “pequeno bolo”. Então, na França, petit gâteau pode ser qualquer tipo de bolo, com cozimento normal e portanto sem este “miolo” derretido.

Aqui na França você encontrará geralmente o fondant, o moelleux e o mi-cuit au chocolat. O fondant é um bolo de chocolate bem cremoso, pois seu cozimento é bem rápido (cerca de 10 minutos) e assim quando você retira do forno ele ainda está um pouquinho cru, este é o meu favorito. O moelleux, que neste caso quer dizer macio, é um pouquinho mais seco que o fondant e se aproxima mais do nosso bolo de chocolate comum no Brasil.

E se você quer o bolinho que vem com o recheio derretido, aqui ele se chama mi-cuit ou então gâteau au coeur coulant/fondant.

Para praticar um pouco, vai aqui uma receita bem fácil e rápida de um delicioso fondant au chocolat :

Ingrédients

  • 1 tablette de chocolat noir de 200 g
  • 70 g de beurre
  • 4 oeufs
  • 50 g de farine
  • 70 g de sucre en poudre

Préparation

  • Préchauffez le four à 200°C
  • Dans une casserole, faites fondre le chocolat et le beurre coupé en morceaux à feux très doux ou au bain-marie.
  • Dans un saladier, ajoutez le sucre et les œufs, mélangez bien et ensuite ajoutez la farine et le chocolat. Mélangez bien.
  • Beurrez et farinez votre moule et versez la pâte à gâteau.
  • Faites cuire 10 minutes au four à 200°C
  • A la sortie du four, le gâteau ne paraît pas assez cuit, c’est normal !

Laissez refroidir et bon appétit !

 

 

 

 

Deixe um comentário

Arquivado em Gastronomia, textos A1 A2, textos A2 B1, Turismo, Uncategorized

George Brassens : o clássico dos clássicos

Pouco conhecido pelo público brasileiro, George Brassens é um dos grandes nomes da cultura francesa e mesmo 30 anos apóos sua morte, sua música continua sempre presente. Atemporal como todo clássico, que você tenha 8 ou 88 anos, seja homem moderno de um grande centro urbano ou simples agricultor, não importa, você se identificará com ao menos uma das canções de Monsieur Brassens.

Brassens nasceu em 1921 no sul da França. De origem humilde, seus valores sempre o acompanharam ao longo de sua carreira e apesar do grande sucesso que veio a conhecer à partir dos anos 50, continuou levando a mesma vida simples, morando no mesmo quarto e acompanhado pelos mesmos amigos que conheceu em tempos mais difíceis.

Extremamente rica e poética, suas letras fazem referência à Goethe, Mallarmé entre tantos outros nomes da literatura francesa. Brassens canta e encanta com suas belas construções de frases, nos falando sobre os temas essenciais : amor, amizade, morte, o passar do tempo..

Acompanhado de um violão e um contra-baixo, Brassens manteve-se fiel ao seu estilo durante toda a sua carreira. A obra é vasta e um banquete para quem gosta de poesia!

E se você ainda não conhece Brassens, nada melhor do que sua Mauvaise Réputation para te dar uma idéia deste grande homem:

 

Deixe um comentário

Arquivado em Cultura, Literatura, música, textos A1 A2, textos A2 B1, Textos B2 C1, Textos C1 C2

Quanto os brasileiros gastam em Paris?

Verão na Europa! Os meses de julho e agosto correspondem ao período das férias escolares aqui na França (les grandes vacances ou vacances d’été) e assunto do momento não poderia ser outro : Vous partez où ?

De acordo com uma pesquisa realizada pelo TripAdvisor, a França, um dos países mais visitados do mundo, é também o país escolhido  por  cerca de 22% dos franceses para aproveitar as férias de verão.

Agora, quer saber quantos turistas a França recebe por ano ou então quanto gasta, em média, um brasileiro em Paris? Através de um infográfico interativo, você pode consultar  essas informações e ainda fazer um quizz para descobrir quais os monumentos mais visitados em Paris.

Quer saber? é só clicar aqui. Ao final da reportagem, é só clicar em Entrer e escolher o tema. Bon voyage!

L'édition de Paris Plages 2013 ou comment allier patrimoine, monuments et farniente au bord de l'eau sous les palmiers.

Deixe um comentário

Arquivado em atualidades, textos A1 A2, textos A2 B1, Textos B2 C1, Textos C1 C2, Turismo

Je ne veux pas travailler

Como estes últimos dias foram um pouco tensos, nada melhor que um pouco de música para relaxar.

E já que é para relaxar, desce aí um Pink Martini!

Formada por 12 músicos e com repertório em vários idiomas, Pink Martini se inspira nas comédias musicais de Hollywood dos nos 40 e 50 e nos propõe uma viagem sonora por diferentes estilos musicais. Lounge, cosmopolita, com toques de batudada brasileira e ao mesmo tempo clássico. Enfim, não dá para definir, tem que ouvir!

O grupo, formado por americamos, começou a fazer shows na Europa no final da década de 90. O primeiro disco, Sympathique, foi lançado em 1997 e foi um enorme sucesso.

“Je ne veux pas travailler” faz parte do 1° disco do grupo e é lindamente cantada em francês pela China Forbes. A letra desta música foi inspirada num poema de 1913 do escritor francês Apollinaire.

E para quem gosta de cantar junto, segue a letra :

Ma chambre a la forme d’une cage
Le soleil passe son bras par la fenêtre
Les chasseurs à ma porte
Comme des petits soldats
Qui veulent me prendre

Je ne veux pas travailler
Je ne veux pas déjeuner
Je veux seulement l’oublier
Et puis je fume

Déjà j’ai connu le parfum de l’amour
Un million de roses
N’embaumeraient pas autant
Maintenant une seule fleur
Dans mes entourages
Me rend malade

Refrain

Je ne suis pas fière de ça
Vie qui veut me tuer
C’est magnifique
Être sympathique
Mais je ne le connais jamais

Refrain

PS: caso alguém se divirta tentando traduzir a letra, já deixo avisado que existem alguns pequenos erros de sintaxe e que algumas frases parecem não ter muito sentido 😉

 

 

 

Deixe um comentário

Arquivado em Cultura, Língua Francesa, Literatura, música, Uncategorized